A imagem mostra um médico atendendo uma paciente

Qualidade e Excelência

Padrão de qualidade garantido

No Samaritano Paulista, adotamos os chamados protocolos assistenciais, conjuntos de condutas a serem seguidas por toda a equipe, diante de condições específicas, como infarto ou AVC, por exemplo. Entenda as finalidades:

  • Padronizar a qualidade da assistência prestada, do momento em que o paciente entra no hospital até a alta hospitalar. 
  • Otimizar os processos, aumentando a agilidade no atendimento, sobretudo em casos de emergência e urgência. 
  • Prestar um serviço alinhado às melhores práticas mundiais, baseadas em evidências científicas.
  • Garantir as decisões terapêuticas mais adequadas para cada situação, aumentando as chances de recuperação.

Protocolo de dor torácica

Existe uma variedade de condições que se manifestam como dor torácica. Por isso, é fundamental identificar os casos que representam ameaça à vida, a exemplo do infarto. O protocolo dá direcionamento para a equipe reconhecer ou afastar esse diagnóstico e tomar decisões relativas à necessidade de internação do paciente, transferência para uma UTI e início de tratamento, seja farmacológico ou cirúrgico.

A diretriz não só especifica os procedimentos a serem adotados em cada situação, a exemplo de exames e terapias, como estabelece prazos para que cada um deles seja realizado, garantindo que as intervenções sejam rápidas e bem-sucedidas.

Protocolo de dor torácica

Imagem ilustrativa de um corpo masculino, com destaque de um ponto vermelho no peito indicando dor.

Protocolo AVC

O acidente vascular cerebral (AVC) é a principal causa de morte no Brasil. Considerando que recuperação e a prevenção de sequelas dependem de agilidade e terapias assertivas, a equipe do Hospital Samaritano Paulista é treinada para reconhecer os sinais e sintomas do problema, no momento em que o paciente dá entrada no hospital, e dar o devido encaminhamento. A partir de então, cada procedimento é baseado na diretriz, incluindo exames, tipo de tratamento para cada caso e prazos para que intervenções sejam realizadas. O protocolo assistencial de AVC ajuda a estabelecer, por exemplo, se o paciente vai precisar de cirurgia ou de terapia trombolítica—empregada para dissolver o coágulo no cérebro. Além disso, estipula o tempo máximo em que o medicamento deve ser administrado.

Protocolo AVC

Imagem ilustrativa de um cérebro humano.